FÉ NAS RUAS

Cerca de 2 milhões de pessoas celebraram o Círio de Nazaré neste domingo

No segundo domingo do mês de outubro, desde as primeiras horas do dia, milhares de pessoas aguardam a passagem da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré para mais um Círio. A procissão se inicia após missa solene celebrada na Catedral de Belém, logo em seguida a corda é atrelada à berlinda, já às imediações do Complexo do Ver-o-Peso. É a partir deste momento que milhões de promesseiros se apertam, até à Basílica Santuário, por um percurso de 3,6 quilômetros, para cumprir as promessas feitas à Santa em troca de uma benção.

Neste domingo, 13, ocorreu a 227ª edição da maior festa religiosa do povo paraense, levando, segundo a estimativa de público da Diretoria da Festa de Nazaré, cerca de 2 milhões de pessoas, que seguiram a imagem peregrina da Padroeira da Amazônia, pelas ruas centrais de Belém, desde as 7 horas. O evento é uma realização integrada da Arquidiocese de Belém, Basílica de Nazaré, Diretoria da Festa de Nazaré, Prefeitura Municipal de Belém e Governo do Estado do Pará.

Promessas - Seguindo o trajeto da procissão estava Maria das Graças, de 52 anos, pagando promessa junto com a mãe, Maria Pereira Nascimento, de 86 anos. Em passos curtos, elas seguiram em direção à Basílica Santuário. “Nós acompanhamos juntas desde quando eu era pequena. Sempre que pedimos, Nossa Senhora nos atende. Eu não sei de onde vem a força, não tenho palavras para o amor que temos por Maria”, contou Maria das Graças.

E é esse sentimento de amor, que toma conta das ruas de Belém, que une pessoas como o grupo de amigos Fernanda Rodrigues, de 24 anos, Sipriano Sabino Neto, de 29 anos, Megha Lima, de 27 anos, e Leidiane Santos, de 38 anos. Leidiane conta que eles se conheceram entregando copos de água, para refrescar os romeiros em 2017 e, desde então, resolveram fazer isso juntos. “Cada um está pagando uma promessa, a minha foi a cura do meu pai. Ele teve tétano e quase morreu, mas graças à Nossa Senhora de Nazaré ele está curado e sem nenhuma sequela”, contou Leidiane.

Homenagens - Durante o trajeto várias homenagens foram feitas para “Nazinha”, dentre elas o coral da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), que cantou músicas religiosas para saudar à Virgem de Nazaré, na arquibancada montada na avenida Presidente Vargas.

A Banda da Guarda Municipal também prestou homenagens tocando hinos ao longo da procissão. Na Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem), o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, estava assistindo, junto com outras autoridades, a passagem da Santa e demonstrou sua devoção à Santa. “São milhões de pessoas que fazem com que esta cidade transborde de alegria e de emoção, é lindo de ver. Sou grato à Nossa Senhora por tudo que ela tem me concedido e, claro, sempre peço muito pela nossa cidade”, enfatizou o prefeito.  

Após pouco mais de quatro horas, às 11h30, a berlinda que conduz a imagem da Virgem de Nazaré chegou à Basílica. Este ano, a berlinda veio ornamentada com cravos vermelhos e orquídeas da Amazônia que representam o sangue, a cruz e Maria.

Defesa Civil - Por conta do forte calor, da multidão e do sufoco do pagamento de promessas na corda que conduz a berlinda, a Defesa Civil Municipal atuou com 15 grupos de voluntários trabalhando nos dois dias das romarias nos 12 postos de atendimento na Trasladação, e nos 13 na procissão do Círio.

Este ano a Defesa bateu recorde de voluntário inscritos, com 8 mil inscrições de voluntários. Um desses foi a da agrônoma Dalva Modesto, que atua há dois anos pela Defesa. “Eu gosto de ser socorrista, porque é gratificante poder ajudar o outro. Além disso, a ideia de poder ajudar em outras ações da Defesa Civil, durante o ano, me motiva a ficar”, revelou.

A coordenadora da Defesa Civil, Carol Rezende, disse que ficou muito satisfeita com a atuação do órgão. “Gratidão, emoção e amor são palavras que resumem a emoção de cada um que compõe essa equipe, em um todo. Foi montada uma força tarefa para que tudo desse certo. Estamos com o sentimento de dever cumprido por vários recordes batidos por meio da Defesa Civil”, afirmou Carol. 

Segurança - Para garantir a segurança dos romeiros, dos turistas e a proteção do patrimônio público, a Guarda Municipal de Belém atuou em todas as procissões, com aproximadamente mil servidores utilizando viaturas, moto patrulhamento, policiamento a pé.

A Superintendência de Mobilidade Urbana (SeMOB) realizou o fechamento das avenidas Presidente Vargas e Nazaré e organizou o trânsito nas proximidades. Após o término do Círio, o tráfego foi liberado na avenida Generalíssimo Deodoro, no cruzamento com a avenida Nazaré, na travessa Quintino Bocaiúva e na travessa Padre Eutíquio com a rua Gama Abreu, para ajustar o fluxo dos veículos.

Segundo a Diretoria de Procissões da Diretoria do Círio, mais de 25 mil servidores que fazem parte de órgãos municipais, estaduais, federais, Forças Armadas e Guardas da Santa estiveram integrados para garantir a segurança e organização dos trajetos.

Limpeza - Depois de todo o trajeto percorrido, toneladas de copinhos de água- como os que a Leidiane e os amigos, lá do começo desta reportagem, entregam - ficam jogados ao longo do percurso. É nesse momento, após a procissão, que as equipes com 1500 agentes de limpeza da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), atuam. Mais de 60 equipamentos como caçambas e carros coletores foram utilizados. 

A expectativa é que o material coletado na Trasladação e na procissão deste domingo chegue a 1000 toneladas, com aproximadamente 700 toneladas de produtos recicláveis, como plástico e papelão.

Segundo o titular da Sesan, Claudio Mêrces, a operação montada para limpeza das vias contou com todo o efetivo disponível para execução de varrição e lavagem do trajeto. “Efetuamos a limpeza imediatamente após a passagem da berlinda e dos romeiros, com objetivo de deixar tudo limpo e preparado para a liberação do tráfego de veículos. Parte deste efetivo atua também nas vias do entorno, executando a varrição e recolhendo o lixo’’, explicou o secretário.

Coment√°rios